Bride Style Logo

Como reconhecer uma RENDA de qualidade
3 de outubro de 2013

POR GISELLE NASSER

Giselle-nasser-peq

Olá! Inicio hoje no Bridestyle, uma coluna onde darei algumas dicas para as noivas conhecerem um pouco mais sobre a parte técnica do universo dos vestidos de noiva, e dessa forma ajudá-las a distinguir melhor o que estão buscando.

COMO RECONHECER UMA RENDA DE QUALIDADE

Existem vários tipos de renda, mas a mais procurada para as noivas é o que genericamente apelidamos de “renda francesa”, com ou sem soutache (aquele cordãozinho que contorna o desenho, deixando a renda com alto relevo). Elas são fabricadas por uma combinação de fios cruzados e pequenos nós. Trata-se de uma técnica de tecimento que vem desde meados do século 19.

A mais conhecida mundialmente é  a renda cuja denominação é “Dentelle de Calais”, elas são fabricadas exclusivamente na cidade de Calais para a lingerie e Caudry, ambos na França, para vestidos de noiva e festa. Porém as rendas francesas ganharam nos últimos anos uma concorrência pesada vinda da China.

Hoje, a maioria delas é feita de poliamida (parte do tule, ou “fundo”), algodão (flores) e viscose (soutache).  As rendas chinesas são ou de poliamida apenas ou de poliéster.

O que difere uma renda de boa qualidade de outra mais barata, já que as fibras sintéticas são comuns às duas categorias?

Primeiramente o caimento, mesmo quando falamos de fibra de poliamida, ou viscose, é bom ressaltar que existem fibras e fibras e a maneira como são tecidas faz toda diferença no resultado final de maciez e caimento. O caimento da renda deve ser fluído e uniforme, sem ter partes mais armadas que outras. Em segundo lugar, o brilho. Um brilho chique é sempre mais acetinado e natural, e o de uma poliamida mais barata é bem mais brilhante, com aspecto mais sintético.

 

Uma boa técnica para reconhecer quando as fibras sintéticas são a maioria é esfregar um pedacinho da renda contra outro dela mesma. A fibra natural não permite a fricção, não escorrega, nem faz barulho; ao contrário do poliéster ou da poliamida.

Screen Shot 2013-08-20 at 4.43.13 PM

Uma renda tradicional francesa é sempre feita num processo artesanal, com aplicação do soutache, por exemplo toda feita à Mao. Nas rendas chinesas, elas já saem totalmente prontas da máquina.

Outra diferença importante e dada por esse processo artesanal, é que a renda francesa tem seu desenho mais trabalhado ao longo da sua largura, ou seja, pode ter as flores na barra grandes, depois menores, e ainda ter varias outras unitárias espalhadas. Os “grãos” do tule também podem variar de tamanho ao longo da mesma renda, conferindo assim um aspecto mais trabalhado ao desenho.

foto3

O barrado também é outro ponto a se observar. As rendas mais especiais sempre tem um barrado, ou seja, um desenho bem definido e diferenciado do restante da largura da renda, e as rendas de menor qualidade, geralmente não tem, sendo mais uniformes, com um único desenho se repetindo do inicio ao fim.

foto02

Logicamente, as rendas francesas são muito mais caras, mas também muito mais bonitas. Para se certificar de que está fazendo uma compra consciente, pergunte sempre a procedência das rendas e desconfie de vestidos que estão por uma pechincha. Não há milagres! Se o vestido usar uma renda sintética que lhe agrade, não há nada de mal nisso, apenas é importante saber muito bem o que se está comprando.

foto5
foto4

Giselle Nasser, estilista de noivas da NOUVEAU

3 Comentários
  1. ana claudia moraes  . 20 de março de 2014 às 21:56

    gostaria que voce me desse sugestao de onde comprar um vestido de noiva importado, caso seja mais em conta. tambem que que tenha um pouco de qualidade
    no aguardo, obrigada

    • Bride Style  . 21 de março de 2014 às 15:53

      Oi, existem vários sites onde você pode comprar vestidos de fora, mas o ideal é poder experimentá-los. Então nossa sugestão é que você procure lojas aqui no Brasil que vendem marcas internacionais como a Casa Amarela e Black Tie. Elas estão no nosso guia de fornecedores, dê uma olhada e boa sorte!!!!! Se quiser depois mande uma foto sua para lila@bridestyle.com.br para conhecermos o seu vestido! Bjus

  2. marina marins  . 27 de setembro de 2014 às 15:25

    Parabéns pela belíssima reportagem, sou rendeira , especialista em todos os tipos de renda feitas , verdadeiramente a MÃO, como: renda de bilros, renda renascença, renda romena, frivolite, etc. . Tenho visto alguns anúncios onde afirmam que a peça em questão foi confeccionada a mão , quando na verdade não o foi, assim desvalorizam um bom trabalho feito a mão com outro feito a máquina com valor inferior, outro detalhe a renda feita a mão tem um tempo de duração indefinido, prova as peças encontradas em museus na Europa , já os feitas a máquina , quando não vem com defeito de fabricação duram relativamente 4 a 5 anos , amarelando (processo de apodrecimento) e , consequentemente rasgando apenas com um toque.
    Infelizmente as rendeiras estão sumindo, pois no Brasil não há uma politica voltada para a educação, neste caso profissionalizante (curso técnico) , existente na Europa a séculos (vide historia da renda).
    Marina

Faça seu Comentário

Avaliação

Por favor preencha corretamente os seguintes campos:

Matérias Relacionadas